Alergia ao sol

Surgiram pequenas borbulhas acompanhadas de prurido na pele exposta ao sol? A pele está vermelha e endurecida? Eis alguns dos sintomas mais frequentes da alergia ao sol que afeta cerca um quinto da população. Há pessoas cuja pele nunca manifesta sintomas de alergia solar, mas há outras que, antes de sair de casa, devem sempre tomar as medidas necessárias para prevenir a alergia.

O que provoca a alergia solar?

Geralmente, as alergias ao sol ocorrem por causa do excesso de raios UVA, bem como dos raios UVB que penetram a pele e afetam as células cutâneas. O sistema imunológico da pele começa a proteger-se contra os raios UV e provoca automaticamente o processo de inflamação da pele.

Além disso, vários ingredientes usados em produtos cosméticos e medicamentos com agentes fotossensíveis aumentam a sensibilidade da pele. Como resultado, é necessário ter cuidado com alguns tipos de antibióticos, medicamentos usados para a quimioterapia, fármacos para baixar a hipertensão ou contracetivos orais. Se toma medicamentos e pretende expor-se ao sol, leia sempre e com muita atenção o seu folheto informativo.

texto completo ocultar texto

Quais são os sintomas mais frequentes da alergia ao sol?

A alergia ao sol manifesta-se através de vermelhidão da pele, prurido intenso ou pequenas vesículas ou bolhas nas costas, ombros, braços, decote ou costas dos pés. Ocorre mais vezes no género feminino entre os 20 e os 40 anos e com pele clara e sensível, mas pode afetar pessoas de qualquer idade.

Conforme a intensidade dos raios UV e outros fatores, podem manifestar-se várias formas de reação cutânea à luz solar: as mais frequentes são a erupção polimorfa solar, acne Mallorca ou reação fotoalérgica.

texto completo ocultar texto

As reações cutâneas mais frequentes à exposição solar

Erupção polimorfa solar (EPS)

É a reação alérgica mais frequente à luz solar, normalmente apelidada de alergia ao sol ou alergia solar. Ocorre principalmente durante a primavera, quando a pele começa a estar exposta ao sol com mais frequência. Esta reação tende a desaparecer quando a pessoa começa a expor-se mais vezes e de forma gradual ao sol, no fim de verão a pele já está habituada ao sol e a reação manifesta-se raramente.

Os sinais mais frequentes da EPS são rubor da pele, borbulhas ou vesículas acompanhadas de prurido, aparecendo geralmente umas horas ou até uns dias após a exposição solar. Varia consoante cada pessoa. No entanto, quando ocorre, manifesta-se sempre da mesma forma, facilitando a deteção e o tratamento da alergia.

texto completo ocultar texto

Acne Mallorca

Devido às borbulhas inflamadas que surgem na pele é parecida com a acne vulgar ou EPS, porém a causa desta reação não são apenas raios solares, mas também agentes emulsificantes e conservantes utilizados nos produtos cosméticos.

Reações fotoalérgicas e fototóxicas

Podem ocorrer devido à toma de certos medicamentos, por exemplo, antibióticos, antidepressivos que contêm hipericão, ou consumo de vários alimentos (citrinos, aipo, sumo de figo, entre outros). Os sintomas são vermelhidão, inflamação ou bolhas na pele.

texto completo ocultar texto

O que ajuda mais a evitar a alergia ao sol? A prevenção!

Os raios solares têm muitos benefícios, são indispensáveis para um bom funcionamento do nosso corpo (aliás, a exposição solar é imprescindível para a síntese da vitamina A). Todavia, é recomendável proteger a pele contra os raios solares em excesso, principalmente na primavera. Eis algumas sugestões:

  • Antes da exposição solar, aplique protetores solares com índice de proteção elevado contra os raios UVA e UVB. Aposte nos cremes protetores especialmente desenvolvidos contra alergia solar das marcas conceituadas La Roche-Posay, Eucerin, Avène ou Bioderma, que foram testados por dermatologistas.
  • Renove a aplicação do creme para alergia ao sol de duas em duas horas. Mas atenção! Não se esqueça de que a água pode reduzir a função protetora do creme.
  • Aplique igualmente cuidados after sun e hidrate bem a pele. Os mais adequados são os produtos que contêm aloé vera ou pantenol.

texto completo ocultar texto

  • Ingira alimentos ricos em cálcio, selénio, zinco e betacaroteno ou tome suplementos à base dessas substâncias.
  • Não subestime a hidratação! Use produtos hidratantes com aloé vera e beba bastantes líquidos, especialmente água, ao longo do dia.
  • Evite a exposição solar entre as 11 e 16 horas.
  • Privilegie as exposições temporárias e progressivas. A pele vai acostumar-se gradualmente à luz solar.
  • Vista roupa de proteção contra o sol: roupa de manga comprida, mais escura, mas não muito fina.
  • Para mimar-se com um bronzeamento bonito, use produtos com caroteno, vitamina E ou C.

 

texto completo ocultar texto

O que fazer se a alergia ao sol já se manifestou?

Os sintomas de alergia, como borbulhas, vermelhidão ou prurido, podem ser recorrentes e são muito desconfortáveis. Gostaria de saber como combater a alergia sol? Experimente umas dicas que podem ajudar a aliviar a pele com a reação:

  • Coloque compressas húmidas nas zonas afetadas.
  • Espalhe pó de bebé em cima das zonas afetadas.
  • Proteja as áreas afetadas com roupa.
  • Após o banho no mar, lave a pele com água doce.
  • Quem prefere recorrer ao tratamento com medicamentos pode comprar medicamentos que não são sujeitos a receita médica, como Zyrtec, ou consultar um especialista sobre os sintomas da erupção cutânea para tentar perceber a origem do problema.

texto completo ocultar texto